receita

CEVICHE DE GUEROBA COM FRANGO DEFUMADO - GOIÁS
GRAU DE DIFICULDADE:
Fácil
TEMPO DE PREPARO:
45 minutos
RENDIMENTO:
5 porções
CHEF:
Humberto Marra
REGIÃO:
Goiás
TIPO DE PRATO:
salada
ingredientes

500 gramas de gueroba fresca, cortada em fatias finas
Sal a gosto
½ xícara de chá de suco de limão
1 xícara de chá de cebola roxa cortada em fatias bem finas
1 xícara de chá de maxixe cortado em fatias finas
2 colheres de sopa de pimenta-de-cheiro picada sem as sementes
1 xícara de chá de coentro picado
¼ de xícara de chá de azeite de oliva
1 xícara de chá de suco de limão-cravo
1 xícara de chá de tomate-cereja cortado ao meio
500 gramas de peito de frango defumado e desfiado

modo de preparo

1 Corte a gueroba em fatias bem finas e coloque-as em uma cumbuca com água, uma colher de chá de sal e meia xícara de chá de suco de limão para não escurecer. Reserve;
2 Em outra cumbuca, misture todos os outros ingredientes, temperando com sal a gosto. Caso queira menos acidez, coloque menos suco de limão no ceviche;
3 Escorra a água da gueroba e misture com os outros ingredientes. Sirva em seguida.

Dicas

-Você pode servir o ceviche com torradas ou uma salada de folhas. Caso não encontre gueroba em sua cidade, substitua por palmito em conserva ou por palmito-pupunha
-A gueroba é uma palmeira típica do Cerrado, mas pode ser encontrada em outras regiões do país. É também conhecida como gueiroba, gariroba, gairoba, jaguaroba, catolé, pati, pati-amargosa, coqueiro-amargoso e palmito-amargoso

História

Palmito firme e de sabor amargo, gueroba é ingrediente clássico da culinária goiana

 

Cantada por Gilberto Gil em “Refazenda”, a guariroba pode ser chamada também de gueroba ou palmito-amargoso. De textura firme e forte sabor amargo, esse palmito extraído de uma palmeira do cerrado é típico da culinária goiana: vai em saladas, no arroz, no recheio do pastel ou do empadão goiano.

Para plantar a palmeira gueroba, enterram-se os cocos que caem do “coqueiro-mãe”, antes do início das chuvas, em outubro. “É só cavar um buraco, colocar o coco dentro, jogar terra por cima e esperar”, conta o agricultor Oliveira Andrade, dono de um guerobal em Piracanjuba, no interior de Goiás. “Já plantei de tudo: pimenta, abacaxi, cana. Mas gostei mesmo foi de trabalhar com a gueroba, porque é bem mais fácil.”

A gueroba leva, em média, quatro anos para alcançar tamanho de corte e, diferente de outros palmitos, como o pupunha, não nasce novamente uma vez arrancada. São tiradas da terra com raiz e tudo e seguem para o Ceasa de Goiânia.

Ali, no Rei das Guarirobas, o comerciante Carlos Henrique Viandelli vende centenas de palmitos por semana, para “tudo o que é tipo de gente”. Donos de restaurantes, de casa, feirantes, lista ele.

Pode-se comprar dois tipos de gueroba, cada uma com sua utilidade. “Para cozinhar, tem que usar a ‘gueroba de cabeça’, que é retirada com a raiz, com a cabeça do palmito. A reta é a gueroba que passou do tempo de colheita, boa para fazer salada”, diz Viandelli.

Segundo o culinarista Humberto Marra, uma das receitas adoradas pelos goianos é a salada de gueroba com coentro, frango defumado, pimenta-de-cheiro e limão-cravo.

"Para cozinhar, tem que usar a 'gueroba de cabeça', que é retirada com a raiz, com a cabeça do palmito. A reta é a gueroba que passou do tempo de colheita, boa para fazer salada"

O Rei das Guarirobas
ONDE Ceasa GO – Rodovia BR 153, km 5,5, GP 8, Box 14, Jardim Guanabara, Goiânia, Goiás, tel. (62) 3249-2684

galeria de fotos

Ceviche de gueroba e frango defumado. foto Rusty Marcellini

Palmito gueroba. foto Rusty Marcellini

Palmito gueroba exposto em loja do Ceasa de Goiânia. foto Rusty Marcellini

Comerciante descasca a gueroba. foto Rusty Marcellini

Carlos descasca a gueroba até chegar na parte comestível. foto Rusty Marcellini

Chef Humberto Marra. foto Rusty Marcellini

Guerobal - plantação de palmito gueroba. foto Rusty Marcellini

Oliveira Andrade retira palmito gueroba com as raízes. foto Rusty Marcellini

Ingredientes do ceviche de gueroba e frango defumado. foto Rusty Marcellini