receita

BOLINHO CAIPIRA - SÃO PAULO
GRAU DE DIFICULDADE:
Fácil
TEMPO DE PREPARO:
1 hora e 30 minutos
RENDIMENTO:
20 unidades
CHEF:
Lisandra Amaral
REGIÃO:
São Paulo
TIPO DE PRATO:
petisco
ingredientes

Para a massa

200 mililitros de caldo de legumes
250 gramas de farinha de milho
1 colher de sopa de alho picado
½ xícara de chá de salsinha picada
Sal a gosto

Para o recheio

1 colher de sopa de manteiga
150 gramas de acém moído
1 colher de chá de pimenta-dedo-de-moça picada, sem as sementes
½ xícara de chá de cebola picada
3 colheres de salsinha picada
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
Fubá para empanar
Óleo para fritar

modo de preparo

1 Comece pelo recheio: doure a cebola e o alho na manteiga, em uma panela já aquecida. Acrescente a carne e os outros temperos e refogue bem. Quando a carne estiver dourada desligue o fogo e reserve;
2 Em outra panela, aqueça o caldo de legumes;
3 Coloque numa cumbuca os temperos, o alho, o sal a gosto, a salsinha e amasse bem com um pilão até que vire uma pasta. Reserve;
4 Em outra cumbuca, coloque o caldo quente. Vá colocando a farinha de milho aos poucos, até que ela fique completamente hidratada. Adicione a pasta feita com os temperos e mexa até que a mistura fique com a consistência de uma massa de modelar. Reserve;
5 Molhe as mãos com um pouco de água e vá fazendo bolinhos, que devem ter em torno de 50 gramas. Abra os bolinhos na palma da mão, recheie-os com a carne refogada e enrole novamente;
6 Passe os bolinhos no fubá e frite-os em óleo quente até que fiquem douradinhos. Sirva acompanhado de molho de pimenta.

Dicas

-Caso queira, pode variar no recheio do bolinho

História

Chef paulista valoriza cozinha caipira e receitas com milho

 

Lisandra Amaral, 33, chef do Maria Farinha Cozinha, em São Paulo, sempre teve afinidade pela cozinha caipira, que remete à sua infância em Cachoeira Paulista, no Vale do Paraíba. “Minha avó materna faz uma cozinha humilde, com frango, porco. Minha proximidade me faz apaixonada por esses cortes desde sempre”, diz.

Formada pelo Senac, passou por outros restaurantes antes de se dedicar à cozinha do Vale, dos tropeiros –como seu avô. Lisandra hoje aproveita técnicas usadas pelos nativos da região e de ingredientes tradicionais e carnes menos nobres.

Fez um estudo de ingredientes esquecidos como milho, abóbora, feijões e urucum e os incluiu no menu de seu restaurante, em que serve “comida de vó”. “As pessoas estão buscando uma cozinha mais simples, mais justa. Quero fazer bons pratos com respeito ao ingrediente nativo.”

Entre os pratos, estão o baião de dois, a paçoca de carne de sol –feita à moda guarani e tropeira, com farinha de milho em vez de mandioca– e o carro-chefe, o bolinho caipira, cuja receita está caindo em esquecimento.

“É algo que se come no cotidiano em todas as cidades do Vale do Paraíba. Cada cidade tem uma receita e eu viajei por dois meses buscando as peculiaridades de cada uma para fazer a minha”, conta.

Ao fim da pesquisa, Lisandra chegou a uma receita próxima da de sua avó. “A única coisa que não faço é acrescentar farinha de mandioca. Tentei chegar no mais clássico da receita, que é só farinha de milho”, diz.

“O bolinho nada mais é do que uma massa de farinha de milho hidratada, recheada com carne moída, batido no fubá e frito.” De casca sequinha, crocante por fora e recheio úmido e bem temperado, o petisco remete à polenta.

"O bolinho nada mais é do que uma massa de farinha de milho hidratada, recheada com carne moída, batido no fubá e frito"

Maria Farinha Cozinha
ONDE rua Padre Carvalho, 771, Pinheiros, São Paulo, São Paulo, tel. (11) 3031-5496

galeria de fotos

Chef Lisandra Amaral. foto Leandro Miranda

Bolinho caipira. foto Leandro Miranda