Neste espaço, chefs e profissionais envolvidos na área da gastronomia vão ministrar aulas teóricas gratuitas e falar sobre as riquezas gastronômicas de várias regiões do país.

*As inscrições acontecerão sempre meia hora antes de cada aula. Lotação de 30 pessoas.
**Programação sujeita a alteração sem aviso prévio.

Sábado, 10/11, das 13h às 13h45: Kadma Marques, OCCA – Observatório Cearense da Cultura Alimentar | Fortaleza, CE

TEMA DA AULA: Em breve.

A professora do curso de Ciências Sociais, da Universidade Estadual do Ceará (UECE), Kadma Marques, é responsável pelo Observatório da Cultura Alimentar do Ceará  (OCCA) onde realiza pesquisas e grandes descobertas.

Sábado, 10/11, das 14h às 14h45: Heloisa Bacellar, Lá da Venda | São Paulo (SP)

TEMA DA AULA: Cozinha caipira.

A chef Heloísa Bacellar possui o Le Grand Diplôme de Cuisine e de Pâtisserie, da escola Le Cordon Bleu, de Paris. Já escreveu vários livros, de onde saem muitas das receitas preparadas na cozinha da Lá da Venda. O local é um armazém cheio de coisas penduradas e espalhadas por toda a parte, além de ser um restaurante com comidas caseiras.

Sábado, 10/11, das 15h às 15h45: Bia Leitão, Fortaleza (CE)

TEMA DA AULA: Cozinha de Tradição

Bia Leitão ex-produtora cultural e aspirante a socióloga virou cozinheira e não se arrepende nem por um segundo. Entrou na faculdade Anhembi Morumbi quando morava em São Paulo e acabou começando no meio através de pequenos eventos para amigos e trabalhando em algumas casas bacanas, incluindo o antigo DUI, da Chef Bel Coelho. Ao voltar pra Fortaleza, chefiou algumas casas como Fahir, Lautrec, Dio Cucina, Given, entre outras. Hoje trabalha com consultorias e tem vários cardápios de sua autoria espalhados pela cidade. Possui um projeto de cozinha de autor e personal chef chamado Tangerina Serviços Gastronômicos, onde monta cardápios personalizados para os mais diversos eventos particulares.

Sábado, 10/11, das 16h às 16h45: Lia Quinderé, Sucré Patisserie, Fortaleza (CE)

TEMA DA AULA: O cacau cearense.

Formada pela escola francesa Le Cordon Bleu, com especialização em cake design pela Wilton School, em Chicago, está a frente da Sucré Patisserie. Com três unidades em Fortaleza, a marca também está presente em mais de 30 pontos de vendas no Brasil. Em seu currículo traz premiações como melhor Chef de Patisserie, no Melhores do ano da Revista Prazeres da Mesa 2013 e 2015; Melhor Doceria do Brasil 2015, no premio Gula e três anos consecutivos na regional Veja Comer&Beber Fortaleza. A chef está à frente da plataforma de gastronomia Pitada, em parceria com o grupo de comunicação Jangadeiro, assinando um programa de tv no SBT Ceará e um programa de radio na Bandnews Ceará, onde atualiza sua visão do mundo da gastronomia.

Domingo, 11/11, das 13h às 13h45: Mari Sciotti, Quincho Cozinha & Coquetelaria (São Paulo, SP)

Tema da aula: Moqueca de pupunha com farofa de banana da terra

Com receitas totalmente vegetarianas, a chef Mari Sciotti, do Quincho, vem chamando a atenção dos paulistas, mostrando que os sabores vão além do que se vê.

Domingo, 11/11, das 14h às 14h45: Rafael Bruno, Ponto X (Pedreiras, MA)

TEMA DA AULA: Com ingredientes maranhense não perdemos os clássicos – Panna cotta de leite de coco babaçu, calda de flor de vinagreira e crispy de urtiga

Rafael Bruno, há 15 anos  comanda o Restaurante Ponto x em Pedreiras-ma ,eleito 3 vezes  Melhor PF do Brasil , pesquisador da cozinha de raiz  do maranhão. Recebeu em 2018 o titulo de Embaixador da gastronomia maranhense.

Domingo, 11/11, das 15h às 15h45: Danielle Thomaz, Campo Grande, MS

TEMA DA AULA:  Mojica de Jacaré

Paulistana, mas de alma e coração sul matogrossense, a cozinheira Danielle Thomaz reside hoje em Campo Grande busca através da gastronomia de afeto difundir todos os sabores e riquezas culturais da região pantaneira.

Domingo, 11/11, das 16h às 16h45: Didda Carneiro, Senac (CE)

TEMA DA AULA:  Cozinha religiosa

Domingo, 11/11, das 17h às 17h45: Daniel Castelli, Monã (Canela, RS)

TEMA DA AULA:  Milho crioulo

A Monã promove vivências gastronômicas tendo o fogo como componente de destaque e utilizando como base o alimento bom, limpo e justo. As refeições servidas na propriedade são produzidas de forma ecológica e artesanal, com destaque para tudo aquilo que é local e regional. Daniel Castelli comanda a fazenda